Olga Kobzar Nua | Ana Dias

OLGA KOBZAR

O pecado não mora ao lado. Ele vive aqui, na pele da doce Olga Kobzar. Conheça-lhe as formas e a força interior.


“Não sou uma miúda, mas também ainda não sou uma mulher. Tudo o que eu preciso é de tempo, um momento só meu, enquanto ainda me encontro no limbo”, entoava a plenos pulmões Britney Spears no desfiladeiro do Antílope, um dos cenários mais arrebatadores e fotografados no sudoeste americano. Tal como a princesa da pop dos anos 90, a modelo moldava Olga Kobzar, de 25 anos, insinua-se perante a câmara, qual femme fatale. É imponente sem ser altiva, é sedutora sem pisar a linha da submissão. Os seus lábios têm vários gomos e em cada um encontramos um sabor diferente, que tanto pode ser doce como ácido ou amargo; o seu sorriso é cândido e transparente, mas ao mesmo tempo parece lascivo e desarmante aos nossos olhos. Do alto dos seus imponentes 1,67 cm (pode parecer pouco, mas desengane-se!), mostra-se absolutamente segura de si. Não é matreira, mas sabe como evidenciar as suas curvas e os seus atributos mais sugestivos.

Olga Kobzar, de 25 anos, insinua-se perante a câmara, qual femme fatale. É imponente sem ser altiva, é sedutora sem pisar a linha da submissão

Posar para a objetiva de um fotógrafo amador ou conceituado começou por ser um passatempo na sua vida, mas rapidamente se tornou a “profissão” que abraça de peito aberto, sem amarras que a façam sentir-se presa. Não há grilhões, apenas espasmos de vida e uma vontade incontrolável de nos conquistar. Seduz-nos de uma forma inebriante, agita-nos de um jeito inexplicável, hipnotiza-nos apenas pelo simples facto de deixar a câmara espalhar magia. “Eu comecei a fotografar quando tinha 18 anos. Foi um dos meus hobbies durante bastante tempo e acabou por se tornar no meu trabalho principal por três anos”, partilha com a equipa da INSOMNIA Magazine. Sente que existe um vínculo inquebrável entre o seu coração, o seu espírito selvagem e o seu corpo, por isso assume, sem constrangimentos, que não encontra quaisquer distinções entre o retrato e a fotografia de nu. “Para mim, tudo isto é fotografia, é arte. Eu sinto-me mais livre do que outras raparigas que não são modelos”. Não recorre à maquilhagem, talvez por gostar de se mostrar imperfeitamente perfeita. Todavia, a preocupação com o seu físico impõe-se. “Há um ano eu comecei a ir ao ginásio, porque engordei cinco quilos e precisava de fazer algo em relação a isso”, partilha.

Olga Kobzar faz também furor na rede social Instagram, contando já com mais de 75 mil admiradores do seu trabalho, apesar da miríade de interdições que tem recebido na sua conta. “Fui bloqueada algumas vezes, então acabei por perder grande parte dos meus seguidores”. Mas fique a saber que esta desconcertante menina-mulher tem ainda duas páginas mais criativas: @olgakobzar_model, onde publica regularmente imagens das suas produções fotográficas e editoriais de moda, e @forthosewhodream, uma página repleta de registos urbanos e de detalhes da natureza.

As suas coordenadas geográficas conduzem-nos até São Petersburgo, na Rússia, ainda que o seu coração seja uma verdadeira rosa de ventos, sem uma rota definida. França, Itália, Suécia, Dinamarca, Malásia, Tailândia, Indonésia, Singapura, Bélgica, Suíça, Holanda, Alemanha, Finlândia, Estónia, Ucrânia, Moldávia (a sua terra natal), Luxemburgo, Portugal e Israel são os atuais carimbos do seu passaporte; confessou-nos que anseia voltar a trabalhar no continente asiático, conhecer Londres e pisar solo norte-americano.

A modelo admite que não tem o tempo que gostaria para se dedicar a outros interesses e projetos, mas deixa escapar a sua enorme vontade de aprender a falar outras línguas, de vender calendários, fotografias, roupas e lingerie feitas em nome próprio; sonhos que deseja realizar assim que a sua preenchida agenda o permitir. Se ainda não conhece o ímpeto deste furacão, prepare-se para ficar colado às fotografias de Ana Dias que ilustram as páginas que se seguem. Está preparado para ser arrastado por esta onda de volúpia? Aviso de bordo: há um vulcão prestes a entrar em erupção; segure-se firmemente, mas permita-se ser inundado pelo magma do desejo. Atenção! Não há espaço para a negação. Resta-lhe apenas mergulhar neste oceano de sedução e de calor.


Fotógrafo: Ana Dias
Modelo: Olga Kobzar
Assistente de Fotografia: Gonçalo Jorge
Make-up e Cabelo: Raquel Peres

Publicado na INSOMNIA Magazine #3.

Partilhar na rede